Carlos Alberto Decotelli pede demissão e deixa Ministério da Educação

Anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como novo ministro da Educação em 25 de junho, professor Carlos Alberto Decotelli entrega sua carta de demissão na tarde desta terça-feira (30). Ele se encontrou com o presidente e seu pedido foi aceito.

Decotelli ia ter sua nomeação nesta terça-feira (30), segundo foi publicado no Diário Oficial da União na última quinta-feira (25), mas não chegou a tomar posse. O professor tinha até mesmo marcado uma reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), mas cancelou sem dizer o motivo. Logo em seguida, ele se reuniu com Bolsonaro.

A repercussão de falsas incluídas em seu currículo e a acusação de plágio em sua dissertação de mestrado tornaram sua permanência no cargo insustentável. Decotelli teve a nomeação articulada pelos ministros militares do Planalto. As incoerências no seu currículo, no entanto – instituições disseram que ele não tinha concluído etapas que ele dizia ter concluído.

Nesta segunda-feira (29) foi revelado que Decotelli, não estudou por dois anos na  Universidade de Wüppertal, na Alemanha, como divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) e segundo consta no Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A instituição alemã esclareceu ao portal O Globo que o ministro conduziu pesquisas na universidade por um período de três meses em 2016, mas sem concluir qualquer programa de pós-doutoramento.

 

 

 

Por Andréia Coutinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *